Ocorreu um erro neste gadget
jonasbanhosap@gmail.com (96) 8129 1837 - Macapá/AP (91) 8312 8015 - Belém/PA (61) 3208 5555 - Brasília/DF

domingo, 29 de maio de 2011

De Luto, pela morte do Dr. Haroldo Franco, Promotor do Meio Ambiente do Amapá








Do Blog Repiquete no Meio do Mundo, da jornalista amapaense Alcilene Cavalcante trago a triste notícia do falecimento do Dr. Haroldo Franco, Promotor do Meio Ambiente do meu Amapá. Meu Deus, estou muito triste pela passagem do Dr. Haroldo, um ser humano fantástico, com imenso senso de justiça e solidariedade.

Tive a oportunidade de conhecê-lo quando buscava apoiar a Comunidade Quilombo São Raimundo do Pirativa (Santana/AP), por ocasião dos 5 anos do caso Cobaias Humanas da Malária sem punição.
Exposição Photo Arte das Comunidades 040

O Dr. Haroldo Franco foi quem descobriu esse caso e lutou muito para punir os pesquisadores envolvidos neste triste caso de abuso aos direitos humanos dos quilombolas. Atendendo, generosamente meu convite, Dr. Haroldo veio até a NossaCasa de Cultura e Cidadania em julho/2009 para falar sobre esse caso para nossos leitores. Depois, tive o prazer de entrevistá-lo, juntamente com a comunicadora popular Rita de Cácia, em meu programa(NossaCasa Amazônia) na Rádio Comunitária Novo Tempo(Macapá) em 03/06/2010, onde fomos brindados com uma verdadeira aula de meio ambiente.
http://www.youtube.com/watch?v=0JwNCT8iEN4


Para esse exemplar ser humano Haroldo Franco, dedico minhas orações. Que ele descanse em paz e que sua esposa e filhos tenham força e fé para seguir em frente.
Jonas Banhos

Abaixo a íntegra da notícia
disponível em http://www.alcilenecavalcante.com.br/.

Luto

Alcilene Cavalcante em 28 de maio de 2011

É com imensa dor que esse blog noticia o falecimento do querido Promotor de Justiça Haroldo José de Arruda Franco, ocorrida no final da tarde deste sábado, 28.05.
O Amapá perdeu Haroldo para um grave AVC sofrido no dia 09 de maio enquanto trabalhava na promotoria do Meio Ambiente, aos 44 anos.
Um grande promotor de Justiça. Dos mais competentes. Um grande amigo. Marido, pai e filho exemplar. Um irmão companheiro de suas irmãs. Um ser humano especial, humilde, solidário, correto.
Estou realmente muito triste em noticiar esse fato.
Leis mais sobre o querido Haroldo no blog de Alcinéa Cavalcante HTTP://www.alcinea.com
Nota do Ministério Público do Amapá
Morre o promotor de Justiça Haroldo José de Arruda Franco
O corpo será velado a partir da meia noite, no auditório da Promotoria de Justiça de Macapá
O promotor de Justiça Haroldo José de Arruda Franco faleceu neste sábado (28), por volta das 16h30, no Hospital Alberto Lima, em Macapá. O corpo será velado a partir da meia noite, no auditório da Promotoria de Justiça de Macapá, na Av. Padre Júlio, ao lado do Corpo de Bombeiros. O sepultamento será em Belém (PA).
Haroldo Franco deu entrada no Hospital de Especialidades Alberto Lima, vítima de AVC (Acidente Vascular Cerebral), que o deixou por vários dias na UTI. Permaneceu internado até 28 de maio, quando veio a falecer.
Haroldo José de Arruda Franco, filho de Ana Maria de Arruda Franco e do jornalista Haroldo Franco, já falecido, nasceu em Belém do Pará, em 18 de setembro de 1966. Casou-se com Arlete Maria Tavares Franco, com quem teve duas filhas, Nathalia Tavares Franco e Noelle Maria Tavares Franco. Era irmão da procuradora-geral de Justiça, Ivana Lúcia Franco Cei, e de Josiane e Simone Franco.
Mudou-se para Macapá (AP) e atuou como Defensor Publico, no extinto Território Federal do Amapá. Em 6 de setembro de 1994 foi empossado no Ministério Público do Estado do Amapá, ocupando o cargo de Promotor de Justiça. No ano de 2002 ganhou o prêmio de Melhor Arrazoado Forense, concurso organizado pelo Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional, Procuradoria-Geral de Justiça e pela Associação dos Membros do Ministério Público (AMPAP). Foi condecorado em 2008 com a Medalha do Mérito Militar “Tenente José Alves Pessoa”.
Promotor de Justiça renomado participou de diversos casos de grande repercussão na capital, como os relacionados a crimes ambientais, enquanto titular da Promotoria de Justiça do Meio Ambiente.
Além da família e do Ministério Público, Haroldo Franco tinha como paixão o xadrez, esporte no qual foi campeão paraense, e o Paisandu, de Belém, clube de seu coração.



Do Blog da Alcinea Cavalcante (http://www.alcinea.com/)
Morre o promotor Haroldo Franco
Postado por: Alcinéa Cavalcante
28.05.11
5:55 pm
Faleceu agora a tarde o promotor Haroldo Franco, 44 anos. Ele estava internado há mais de 15 dias. Haroldo sofreu um AVC no próprio local de trabalho. Chegou a ser operado, mas nos últimos dias seu quadro agravou-se.
O corpo será trasladado para Belém. Mas antes será velado por algumas horas , a partir da meia noite, na Promotoria de Justiça (Avenida Padre Júlio, entre Leopoldo Machado e Hamiltom Silva).
Queria fazer uma homenagem aqui no blog ao Haroldo, mas o choque, o nó na garganta, os olhos marejados aprisionam as palavras.
Queria contar para vocês que sempre tive enorme carinho e admiração por ele e por suas irmãs, que o pai dele foi amigo do meu pai e meu amigo, que a avó dele também era nossa “vozinha” quando eu era criança.
Queria contar de como eu sentia orgulho quando Haroldo conquistava títulos de campeão de xadrez no Pará e em outros lugares. Ah, era um jovem amapaense nos enchendo de orgulho.
Gostaria de contar o quanto fiquei feliz quando ele e sua irmã Ivana, formados voltaram para o Amapá para contribuir com esse Estado e se tornaram promotores dos mais respeitados, verdadeiros exemplos de seriedade com a coisa pública, integridade, ética e amor ao Amapá.
Tanta coisa pra contar, mas … me desculpem, estou sem condições nesse momento.
Vou fazer uma prece, pedindo ao Pai do Céu que receba o meu amigo Haroldinho com muita luz e que dê forças para sua mãe e irmãs, esposa e filhos e demais familiares neste momento tão difícil, tão doído, tão molhado de lágrimas.
Segue em paz, querido Haroldinho. Aqui no blog estou noticiando teu falecimento, mas lá no céu o saudoso jornalista Haroldo Franco, teu pai, e outros jornalistas que te viram nascer e crescer (como o meu pai) devem estar noticiando no jornal celestial o teu nascimento. Sim, pois o que a imprensa terrena noticia como morte a imprensa celestial anuncia como nascimento.

terça-feira, 24 de maio de 2011

BArca das Letras 24 horas - acervo itinerante 006




Para conhecer parte do acervo da nossa biblioteca comunitária BArca das Letras, itinerante, é só clicar na imagem acima. Alguns livros foram doados pelos próprios autores, durante nossas mochiladas culturais de incentivo à leitura do Oiapoque ao Chuí, passando pelo Caburaí.

Portanto, quem quiser doar livro pra gente, é só mandar email para jonasbanhosap@gmail.com.

Valeu galera,
boa leitura.

Jonas Banhos

sábado, 14 de maio de 2011

Por Escolas, Universidade e Comunidades Indígenas de Roraima


Roraima Indígenas 003
Comunidade Indígena Sorcaima II, 13 de maio de 2011.

É hora de compartilhar alguns dos momentos especiais das minhas vivências do mês de maio/2011. Desta vez, vim mochilar aqui pelas terras de Macunaima, no extremo + ao norte do Brasil, Roraima, aonde está localizado o Monte Caburaí, o Monte Roraima, a Terra Indígena Raposa Serra do Sol e um montão de gente muito, + muito especial meessmmooo, a quem sou muito grato pela receptividade, acolhida e cuidado.
roraima ensaio quadrilhas 156 (2)

Daqui do alto, começo declamando minha gratidão a três caras bacanas, que me deram total apoio para as atividades, que me levaram e participaram ativamente das intervenções, alimentaram-me fisicamente e, claro, a minha alma e meu espírito com suas artes, com seus dizeres. Ah, e ainda por cima, e por baixo, guiaram-me pelos diversos caminhos sinuosos e verdes de Roraima. Pode-se até dizer, com certeza: eles são "os caras" da cultura "orgânica" em Roraima. Grandes parceiros da cultura viva! É só chamar, na Rádia NossaCasa ou não, pelo nome deles:

- Edgar Borges, do Coletivo ArteLiteratura Caimbé, que me convidou para participar das atividades do Projeto Caminhada Arteliteratura em comunidades indígenas, premiado pela Funarte/Minc;

Veja como foi nas comunidades indígenas em http://caimbe.blogspot.com/

- Mário Moura, coordenador do Ponto de Cultura Anarriê Amazônia (quadrilhas juninas), que me levou para a intervenção na Escola Estadual COEMA;

Veja como foi na Escola em http://www.folhabv.com.br/noticia.php?id=108582

- Mibielli, professor da Universidade Federal de Roraima, que me chamou para a intevenção na UFRR.



Eita, espera aí, deixa eu chegar um "pouquito" + para a ponta desta Serra, chamada de Pacaraima, já quase na fronteira com a Venezuela. Pronto, agora sim, daqui posso "mirar" melhor a bela paisagem,a florestona, finalmente nas mãos dos verdadeiros donos desta terra sagrada, os povos originários, após a emblemática saída dos arrozeiros daqui da Raposa Serra do Sol. Visivelmente preservada, esta parte da floresta Amazônica oferece vida, ar puro, espiritualidade, bem diferente de uma área em que o agronegócio(monocultura) domina. E nesse clima, eu posso re-citar também minha gratidão a tod@s que participaram, cada um do seu jeitinho muito especial, alegremente das intervenções de incentivo à leitura na/da NossaCasa aqui em Roraima:
P1070909
- crianças, adolescentes, jovens, os mais sábios, professores da Academia e das Escolas de Boa Vista e das comunidades indígenas, alunos do EJA, universitários;
P1070877
- lideranças (tuxauas) das comunidades indígenas Boca da Mata e Sorocaima II;
- as senhoras que fizeram e serviram nosso delicioso almoço típico na comunidade Sorocaima II, a tão famosa damorida(Peixe ou carne assada na brasa folha de pimenta malagueta pimenta jiquitaia - pimenta ardosa - goma de tapioca sal a gosto. E muito amor no preparo, como foi o caso desta aí. Delícia ardente!!!), acompanhada da bebida indígena Caxiri (bebida de baixo teor alcoólico preparada pelas mulheres por meio da fermentação da mandioca)
P1070878
- Prof. Magalhães e todos os funcionários da Escola Estadual COEMA
- Cecy Brasil - escritora e Presidente da Academia Roraimense de Letras
- Helen Simone - escritora de Roraima
- Chacon - Representante de Roraima na Comissão Nacional dos Pontos de Cultura
- Zanny Adairalba - escritora, poeta do Coletivo ArteLiteratura Caimbé
- Tana Halú - ilustrador, poeta, contador de histórias do Coletivo ArteLiteratura Caimbé
- Eroquês, escritor, poeta
- Coletivo FotoClube de Roraima (veja as belas fotos de Marcelo Seixas, durante a Caminhada Arteliterária pela comunidade indígena Boca da Mata http://migre.me/4AcQF)
- Jornalistas Verinha (TV Universitária de Roraima) e Roberta Cruz, repórter de cultura do Jornal Folha de Boa Vista, pela divulgação do trabalho;
- Professores do Curso de Cultura de Fotografia da Paz, realizado na Relações Internacionais da UFRR;
UFRR 062
- Catarina, coordenadora do Ponto/Pontão de Cultura A Bruxa Tá Solta;
- Dona Lidia Raposo, mestra griô indígena, artesã das panelas de barro de Roraima.
Mestra Lidia Raposo - Roraima 028


Por fim, mas já planejando um novo re-começo, transcrevo abaixo um dos poemas da Zanny, companheira de caminhada arte-literária por estas terras indígenas, que sintetiza muito bem nossa caminhada, por estas bandas do extremo norte do Brasil:
P1070845
“ Como relatar o brilho encontrado
Em cada um daqueles olhares?

Como descrever o riso inocente
Estampado em cada um daqueles rostos?

Como definir a magia que se dá entre
Doar um tempo tão curto
E receber algo tão belo:
A gratidão?”

É isso aí gente!!! Depois de tudo que vivenciei aqui em Roraima, em apenas uma semana, aonde tive a felicidade de pela primeira vez, desde que comecei a mochilar em prol da cultura, visitar comunidades indígenas (Sorocaima II, Boca da Mata e São Marcos, esta última colada com a Raposa Serra do Sol), só me resta concordar com o poeta:

Amigo é coisa para se guardar
Debaixo de sete chaves
Dentro do coração
Pois seja o que vier, venha o que vier
Qualquer dia, amigo, eu volto
A te encontrar
Qualquer dia, amigo, a gente vai se encontrar.
(Fernando Brant e Milton Nascimento)
P1070824

Até a próxima mochilada cultural, do Oiapoque ao Chuí, sempre passando, de agora em diante, pelo Caburaí!!! Afinal, somos um só povo de cultura, sem dúvida, ligados na mesma energia, aqui ó, na NossaCasa Amazônia.
P1070972

Roraima

Para ver as fotos, acesse http://www.facebook.com/media/set/?set=a.191064504273145.46473.100001087898897&l=06ba96a5a8 ou http://www.flickr.com/photos/mochileirotuxaua/sets/72157626616760289/ ou clique nas fotos.

grato, grato a tod@s,
abraços fraternos,

Jonas Banhos
mochileirotuxaua.blogspot.com

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Portfólio das Intervenções

Vamos relembrar nossas intervenções desde o começo, afinal, como diz o poeta, "recordar é viver!!!"



2008
- Comunidades Ribeirinhas do Amapá




2009
- Comunidades Ribeirinhas do Amapá



- Conferência Estadual de Comunicação do Amapá



- Conferência Nacional de Comunicação






2010
- Comunidades Ribeirinhas do Amapá





- Praças e paradas de ônibus de Macapá - Amapá




- Conferência Estadual de Cultura do Amapá




- Conferência Pré Setorial de Cultura - Brasília/DF


- Conferência Nacional de Cultura - Brasília/DF


- Curso de Jornalismo Ambiental - Belém/PA



- Teia Amazônica de Cultura - Belém/PA


- Teia Brasil - Fortaleza/CE



- II Jirau de Escritores Paraenses - SESC - Belém/PA



- Feira PanAmazônica do Livro - Belém/PA



- Festa do Boi Bumbá Orube - Belém/PA


- Universidade Federal do Amapá
P1080205

- Movimento pela Vida e pela Paz - Belém/PA

- Praça da República - Belém/PA

- Comunidades Tradicionais do Piauí









2011
- Comunidades Ribeirinhas do Amapá


- Comunidades Indígenas Sorocaima II e Boca da Mata (Terra Indígena São Marcos) - Roraima


- Universidade Federal de Roraima - Boa Vista/Roraima


- Escola Estadual Coema - Boa Vista/Roraima